Decision Science Forum de 2014 é na Argentina

O encontro Arena será na Argentina dia 13 de novembro de 2014

O Centro de Convenções City Center Rosario receberá o primeiro encontro de usuários de Arena da América Latina.

Será um espaço onde os usuários do software de simulação Arena poderão trocar experiências e participar de palestras para sobre as últimas novidades do sistema.

O dia todo será dedicado aos diretores, gerentes, analistas de projetos, usuários e pessoas interessadas em conhecer ou iniciar projetos de simulação Arena.

Agenda

Data: 13 de novembro de 2014
Local: City Center Rosario  – Bv. Oroño y Av. Circunvalación cidade de  Rosario (Santa Fe, Argentina). 

Manhã – 9h às 12 h
> O novo Arena
> Técnicas avançadas de simulação
> Metodologia de Projetos

Almoço

Tarde – 13h às 17h
> Gerando benefícios com a simulação
> Casos de Sucesso
> Troca de experiência entre usuários

Coquetel 17h às 18 h

Inscrições Online (http://paragontechlogsis.com.ar/inscripcion-cursos)
Como chegar (http://www.citycenter-rosario.com.ar/como-llegar)
Aeroporto (http://aeropuertorosario.com/)
Voos internacionais TAM, GOL.

case votorantim metais – mina de vazante

Estudo realizado com apoio de ferramentas de simulação que testam e validam novos métodos de lavra subterrânea.

A Votorantim Metais opera uma mina em Vazante-MG para a exploração de Zinco (Zn). A operação, em escala industrial desta mina, foi iniciada em meados de 1969. Com a mina em céu aberto, em 1983, foi iniciado o trabalho para exploração subterrânea, que se encontra em funcionamento até os dias de hoje.

Ao longo dos últimos anos, os teores de Zinco foram diminuindo, e déficits de desenvolvimento em anos anteriores provocaram o aumento dos custos por tonelada de Zn produzida, tais fatores obrigaram a Votorantim Metais a buscar alternativas que recuperassem a produtividade e lucratividade da operação.

A partir de uma parceria entre a Paragon e a Votorantim Metais, foi possível desenvolver modelos de simulação em Arena®, que representem um novo método de lavra, até então nunca empregado nesta mina, chamado de lavra SLRM (Sublevel Retreat Mine).

Foram apontados ganhos na produtividade, além de permitir o teste de estratégias de movimentação de veículos, gargalos que necessitam de atenção e comportamento da operação com a diminuição da espessura do corpo de minério.

O estudo permitiu a Votorantim Metais tomar decisões de investimento embasadas em indicadores do futuro cenário da mina de Vazante.

case indt – gerenciamento de projetos de simulação com scrum

O INdT (Instituto Nokia de Tecnologia) é um Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento independente, fundado pela Nokia e focado na geração de novos conceitos, produtos e soluções para as áreas relacionadas com tecnologias móveis e Internet.

O Instituto utiliza a simulação para o fluxo de materiais em processos de manufatura. O objetivo é propor o uso do Scrum na gestão de projetos de simulação, com base no PMBOK, PDCA e Metodologia Ágil e mostrar as dificuldades e ganhos obtidos no projeto.

O case proveu ao cliente informações e, principalmente, experiência para replicar o Scrum em outros projetos da INdT.

Case Vale – Projeto 118 Sulfetado

O Projeto 118 é um dos empreendimentos da Vale para extrair o cobre sulfetado com a operação de uma mina subterrânea em Canaã dos Carajás no Pará.

O projeto possui reservas de até 11,36 Mt de minério de cobre e ouro associados e terá sinergia com o projeto 118 oxidado, o qual é uma lavra a céu aberto de minério oxidado do depósito 118, com taxa de produção de 6,4 Mtpa.

O objetivo do estudo, foi desenvolver um modelo de simulação de tráfego na rampa de serviços do Projeto 118 Sulfetado, visando responder a dúvida da equipe quanto a necessidade de abertura de outra rampa de acesso para escoamento da produção.

Baseado no plano de desenvolvimento da mina, o estudo deve considera a movimentação de veículos o longo do tempo para determinar se é necessária a sua abertura e verificar, através da simulação, quando o sistema entrará em gargalo.

Considerando que esta rampa é responsável pelo escoamento de produção (minério), transporte do estéril, descolamento de equipamentos para manutenção em superfície, deslocamento dos equipamentos de apoio à operação, deslocamento das equipes operacionais e de apoio, e outros.

Assim o projeto busca responder a necessidade de mais um acesso para atender os requisitos citados acima, o que significa um investimento de milhões de reais.

case hydro – interfaces operacionais

A Hydro foi fundada em 1905, na Noruega, para atuar com Bauxita e Alumina, Metais Primários, Mercados de Metal, Produtos Laminados, Produtos Extrudados e Energia. A empresa está presente em mais de 40 países no mundo todo.

Graças à aquisição das atividades de alumínio da Vale, no Brasil, a Hydro se tornou um importante participante no ramo de mineração de bauxita e refinação de alumina. O projeto desenvolvido pela Paragon para a Hydro, se rerefe à usina de beneficiamento em Paragominas, Pará.

O principal objetivo do projeto foi permitir à equipe da Hydro/Vale avaliar quais seriam os investimentos necessários para garantir a produção planejada. O estudo permitiu identificar pontos de restrição no processamento do minério desde os britadores em Paragominas até seu recebimento e filtragem em Barcarena, considerando todas as expansões previstas, com especial ênfase em : avaliar necessidade de nova Pilha de Homogenização e avaliar necessidade de tancagem adicional de produto.

Os resultados desse projeto permitiram chegar a conclusões como:

  • Multiplicidade de frentes não atenua irregularidades de ROM.
  • Necessidade de pilha de homogenização
  • Homogenização talvez não ocorra tão bem quanto o esperado.
  • Devem ser consideradas alterações na lavagem para combater irregularidades.
  • As pilhas entre plantas protegem produtividade da moagem.
  • Paragon para manutenção controla produtividade em geral.
  • Desejável ter mais tancagem no início do mineroduto.
  • Mineroduto operado sem batelada pode transportar mais.

Case Vale – Tráfego de Mina

Estudo realizado com o apoio de técnicas de simulação que apontam os riscos de colisão de veículos, sobre a influência do plano de lavra da mina.

A operação dentro de uma mina está sujeita a riscos de segurança, e o trabalho de identificar e mitigar os riscos é de suma importância para os colaboradores que ali trabalham. Neste ambiente de trabalho, há movimentação de veículos de grande porte que se deslocam para diversos pontos distintos, e de acordo com o plano de lavra, novas vias para movimentação destes veículos são abertas frequentemente, aumentando os riscos de colisões.

O simulador desenvolvido aponta os riscos de colisão destes veículos, identificando os pontos mais críticos e com mais probabilidade de ocorrer um acidente. A partir destes indicadores a Vale pode realizar ações que mitiguem estes riscos.

Após a análise dos resultados do modelo em Arena®, a Vale tomou algumas medidas que foram testadas em novos cenários, onde a intensidade do tráfego em pontos críticos da mina foi reduzida em mais de 40%, e a probabilidade de dois veículos chegarem simultaneamente a um cruzamento foi diminuída em mais de 70%.

 

 

 

 

 

 

Case Project Lab

O Gerenciamento de Crises em Projetos, e suas caracteristicas.

As reações mais comuns à crise podem ser definidas como: Surpresa; Rapidez; Escalada de eventos; Perda de controle; Escrutínio público; Vácuo de informações; Múltiplos stakeholders; Pânico – Crises acontecem com todos e não são tão raras quanto parecem, podem acontecer com qualquer um e com qualquer empresa. E se ela acontecer, pode custar o seu projeto, seu emprego, sua empresa, sua vida pessoal, ou sua vida mesmo!

As crises podem ser causadas por desastres naturais, opu por ação do homem.

As fases identificáveis de uma crise são: Choque; Recuo defensivo; reconhecimento; Adaptação e mudança (crescimento). Para liderar a crise sugere-se organizar sua empresa quanto à: (1) Antecipar o Pior; (2) Ser decisivo; (3) Ser um excelente comunicador; (4) Ser visível; (5) Conectar-se com as Pessoas; (6) Estar preparado para correr riscos.

Fotos

Case Raízen – Simulação na Logística da Cana-de-Açúcar

Utilização das técnicas de simulação em processos de CCT (Corte, Carregamento e Transporte), sendo ele semi-mecanizado, ou inteiramente mecanizado.

Com o objetivo de apresentar os ganhos do modelo proprio, desenvolvido pela Raízen com o suporte da Paragon, referenciaram a busca por resultados relevantes através da simulação.

Com a utilização das técnicas de simulação a frota atual foi reduzida em 17% em comparativo com o dimensionamento deterministico. Outro ponto importante foi a redução de tempo de análises, assim como a construção de uma lógica mais simples, onde nessa foi possivel a equipe trabalhar com mais facilidade e deteção de erros, além da maior agilidade na construção de modelos futuros.

No CCT, em Transporte, foram obtidos ganhos de dimensionamento de frota e nível de serviço. No Corte e Carregamento foi possivel definir a melhor relação entre colhedoras e transbordos, aumentando assim a eficiência e eficácia.

Fotos

Case DOC – Exército Brasileiro

O Departamento de Obras de Cooperação do Exército Brasileiro (DOC) Simulou o Plano de Operações de Terraplenagem de um novo terminal de passageiros, o TPS 3 do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Os desafios para a construção de um novo terminal de passageiros eram de cumprir os prazos, sendo de 37 meses até a Copa do Mundo de 2014, e construir um Pátio de Aeronaves do TPS 3, em área com solo de baixa qualidade, visando a necessidade de subistituir o solo e aterrar em pedras.

A simulação ao projeto foi escolhida com os objetivos de amplizar a visibilidade do processo, dar a possibilidade de estudar um problema de alta complexidade, ser possível gerenciar o risco do projeto, e tornar uma ferramenta de suporte à tomada de decisão.

O projeto em simulação foi dividido em duas etapas: Fase I – Logística de acesso; Fase II – Detalhamento da Operação.

Na Fase I foi identificado que o Trânsito na região do aeroporto irá impactar diretamente nos prazos, assim como a baixa eficiências das escavações. Os primeiro resultados apontaram a impossibilidade de entregar a obra no prazo, anteriormente determinado em 28 meses, porém com melhorias no processo e investimentos poderão reduzidos para até 20 meses.

Já na Fase II, com o detalhamento da operação, foi determinado o cronograma detalhado para construção do TPS3, assim considerando uma atividade de escavação sequenciada por (1) Remover Solo de Alta Qualidade (SAQ); (2) Remover Solo Mole (SM); (3) Lançar Pedra; e (4) Aterrar com SAQ. Os resultados obtidos foram:

Execução do cronograma de obras será em 23 meses, assumindo abastecimento de pedra ideal.

Fotos

Case Usiminas

O projeto de simulação de processos para práticas de melhorias de valor na Usiminas, comtempla na simulação para a fase de planejamento do processo Aciaria 02, na Usina de Ipatinga.

Relativo a Usina de Ipatinga, no processo Aciaria 02, foram realizadas 3 simulações distintas, uma equivalente ao Cerregamento de Sucata, outra quanto ao Carregamento dos Converterdores, e por fim o Refino Secundário e Lingotamento.

Em carregamento de sucata foram analisadas as operações de descarga de sucatas nos poços e carregamento das canaletas para abastecer os 3 convertedores. Para o carregamento dos convertedores esteve em análise as operações de chegada de gusa pelos carros torpedo e carregamento nos 3 convertedores. Em relação ao refino secundário e lingotamento simulou-se a preparação de panelas para vazamento, operações do refino secundário e lingotamento do aço.

Ao final da Simulação foi possivel visualizar o processo produtivo como um todo antes de sua construção, adequar os investimentos à necessidade da empresa, e obter maior confiabilidade nos investimentos.

Fotos